Antes de irmos direto ao assunto é importante distinguirmos os Termos Integrantes dos Termos Acessórios da Oração:

TERMOS INTEGRANTES DA ORAÇÃO

Certos verbos ou nomes presentes numa oração não possuem sentido completo em si mesmos. Sua significação só se completa com a presença de outros termos, chamados integrantes. São eles:

complementos verbais (objeto direto e objeto indireto);

complemento nominal;

agente da passiva.

TERMOS ACESSÓRIOS DA ORAÇÃO

Sobre os Termos Acessórios

Existem termos que, apesar de dispensáveis na estrutura básica da oração, são importantes para a compreensão do enunciado. Ao acrescentar informações novas, esses  termos:

– caracterizam o ser;

– determinam os substantivos;

– exprimem circunstância.

São termos acessórios da oração: o adjunto adverbial, o adjunto adnominal e o aposto.

Agora nosso desafio é entender as funções de cada um desses termos que geram bastante confusão por causa de algumas semelhanças, são eles:

Predicativo X Adjunto Adnominal X Aposto X Complemento Nominal

1) PREDICATIVO é o termo que confere ao sujeito ou ao objeto uma qualidade, uma característica. Existem dois tipos de predicativo: o PREDICATIVO DO SUJEITO e o PREDICATIVO DO OBJETO.

PREDICATIVO DO SUJEITO: termo que caracteriza o sujeito da oração.

Ex: Ela entrou em casa apressada.

PREDICATIVO DO OBJETO: termo que caracteriza o objeto direto da oração.

Ex: Ela viu um homem apressado.

Dependendo do contexto, alguns verbos não têm em si uma significação definida, ou seja, não são verbos significativos, são apenas verbos de ligação. Por terem um significado apenas gramatical, necessitam de um complemente especial que atribua o principal significado do predicado. Este complemento é o predicativo. O predicativo exprime um estado ou qualidade atribuídos ao sujeito ou ao objeto.

Alguns destes verbos são: SER, ESTAR, FICAR, TORNAR-SE, CONTINUAR, PARECER, etc.

Vários verbos significativos podem também assumir valor de verbos de ligação, como é o caso dos já referidos estar, ficar, andar, permanecer, continuar, parecer, vir.

Os predicativos assumem papel de núcleo do predicado, portanto ao aparecerem, o predicado pode ser classificado como NOMINAL (quando o predicativo do sujeito assume papel de único núcleo) ou como VERBO-NOMINAL (quando se tem dois núcleos, um constituído pelo verbo da oração e o outro pelo predicativo).

Exemplos:

  • Ele está triste. (Predicativo do Sujeito)
  • Os alunos são inteligentes. (Predicativo do Sujeito)
  • O trem está quebrado. (Predicativo do Sujeito)
  • Nomeei José o meu secretário. (Predicativo do Objeto)
  • Chamei-o de ladrão. (Predicativo do Objeto)
  • António Guterres é primeiro-ministro. (Predicativo do Sujeito)
  • Fumar é um vício.  (Predicativo do Sujeito)
  • A garota é estudiosa. (Predicativo do Sujeito)
  • O mais puro amor é o de mãe.  (Predicativo do Sujeito)
  • O professor sou eu. (Predicativo do Sujeito)
  • Os alunos éramos nós.  (Predicativo do Sujeito)
  • Meus melhores amigos são apenas dois.  (Predicativo do Sujeito)
  • O vilarejo finalmente elegeu Otaviano prefeito. (Predicativo do Objeto)
  • Os policiais pediam calma absoluta. (Predicativo do Objeto)
  • Todos julgavam-no culpado. (Predicativo do Objeto)
  • Chamavam-lhe falsário, sem notar-lhe suas verdades. (Predicativo do Objeto)
  • Marina continua alegre.  (Predicativo do Sujeito)
  • Vocês serão felizes.  (Predicativo do Sujeito)
  • Camila chegou feliz.  (Predicativo do Sujeito)
  • Ele foi considerado inocente.  (Predicativo do Objeto)

Até aqui tudo bem, tudo é muito tranquilo de entender.

O problema surge quando temos que diferenciar o Predicativo do Objeto do Adjunto adnominal. Vamos ver a definição de cada um.

2) ADJUNTO ADNOMINAL: É o termo que determinaespecifica ou explica um substantivo. O adjunto adnominal possui função adjetiva na oração, a qual pode ser desempenhada por adjetivos, locuções adjetivas, artigos, pronomes adjetivos enumerais adjetivos. Veja o exemplo a seguir:

O poeta inovador enviou dois longos trabalhos ao seu amigo de infância.
Sujeito Núcleo do Predicado Verbal Objeto Direto Objeto Indireto

Na oração acima, os substantivos poeta, trabalhos e amigo são núcleos, respectivamente, do sujeito determinado simples, do objeto direto e do objeto indireto. Ao redor de cada um desses substantivos agrupam-se os adjuntos adnominais:

  • o artigo” o” e o adjetivo inovador referem-se a poeta;
  • o numeral doise o adjetivo longos referem-se ao substantivo trabalhos;
  • o artigo” o” (em ao), o pronome adjetivo seue a locução adjetiva de infância são adjuntos adnominais de amigo.
  • Observe como os adjuntos adnominais se prendem diretamente ao substantivo a que se referem, sem qualquer participação do verbo. Isso é facilmente notável quando substituímos um substantivo por um pronome: todos os adjuntos adnominais que estão ao redor do substantivo têm de acompanhá-lo nessa substituição.

 Por Exemplo:

O notável poeta português deixou uma obra originalíssima.

  • Ao substituirmos poetapelo pronome ele, obteremos:
  • Eledeixou uma obra originalíssima.
  • As palavras onotávele português tiveram de acompanhar o substantivo poeta, por se tratar de adjuntos adnominais. O mesmo aconteceria se substituíssemos o substantivo obra pelo pronome a. Veja:
  • O notável poeta português deixou-a.

 

Predicativo do Objeto ou Adjunto adnominal: qual a diferença?

A presença de características semelhantes revela, sem dúvida, fator preponderante na recorrência de alguns questionamentos, principalmente quando o assunto diz respeito à análise sintática. Não são raras as vezes em que precisamos diferenciar o objeto indireto do complemento nominal, o adjunto adnominal do complemento nominal, e agora… o predicativo do objeto do adjunto adnominal – alvo da discussão a que nos propomos levar adiante.

Dessa forma, de modo a constatar a diferença que demarca ambos os elementos linguísticos, veja a análise de alguns enunciados, evidenciados a seguir:
Os professores consideraram a prova difícil.

No intuito de descobrir se o termo em questão (difícil) se refere a um adjunto adnominal ou a um predicativo do objeto, basta substituí-lo por um pronome substantivo, o qual resultaria no seguinte enunciado:

Os professores consideraram-na difícil.

Constatamos que o pronome oblíquo em evidência atua como objeto direto (substituindo o termo “a prova”). Assim, mesmo havendo tal substituição, o termo “difícil” continuou intacto, haja vista que ele não é parte do objeto, mas sim um termo que a ele está relacionado.

Considera-se, dessa forma, tratar-se de um predicativo do objeto direto.

Veja, pois, outro exemplo:

Os alunos resolveram uma questão difícil.

Realizando o mesmo processo, o de substituir o objeto direto (uma questão) por um pronome oblíquo, obtém-se somente:

Os alunos resolveram-na. (e difícil, onde fica?)

Gramaticalmente falando, “os alunos resolveram-na difícil” configuraria uma inadequação.

É exatamente por essa razão que afirmamos que o termo “difícil”, em se tratando desse caso, classifica-se como um adjunto adnominal, haja vista que ele é parte do objeto direto, e não um termo que a ele se relaciona, assim como ocorre com o predicativo.

EM RESUMO: O Predicativo se diferencia do Adjunto Adnominal porque tirando ele da frase, perde-se o sentido/coerência. Tente fazer isso com essas frases abaixo:

Considero Fernanda inteligente.

A bela menina foi à festa sozinha.

Considero Fernanda inteligente. (Não há sentido)

Predicativo do Objeto

A bela menina foi à festa sozinha. (sentido permanece)

Adj. Adn

Outra questão que assombra o Português é a diferença entre Complemento Nominal , Adjunto Adnominal e Aposto.

 

4) Complemento Nominal: É o termo que completa o sentido de uma palavra que não seja verbo. Assim, pode referir-se a substantivos, adjetivos ou advérbios, sempre por meio de preposição.

Exemplos:

Cecília tem        orgulho                da filha.
                        substantivo          complemento nominal

Ricardo estava   consciente        de tudo.
                               adjetivo       complemento nominal

A professora agiu       favoravelmente      aos alunos.
                                             advérbio        complemento nominal

Saiba que:

  O complemento nominal representa o recebedor, o paciente, o alvo da declaração expressa por um nome. É regido pelas mesmas preposições do objeto indireto. Difere deste apenas porque, em vez de complementar verbos, complementa nomes (substantivos, adjetivos) e alguns advérbios em -mente.

SÍNTESE : COMPLEMENTO NOMINAL x ADJUNTO ADNOMINAL:

CNAdj

adj2 Veja também: https://www.pontodosconcursos.com.br/artigo/13853/claudia-kozlowski/ainda-diferenca-entre-complemento-nominal-e-adjunto-adnominal?gclid=Cj0KCQiAi7XQBRDnARIsANeLIevPL8R5TlMj6cKFdQV2PgIYSKUBOTEfXN1v-T_7IbfBk1b1TpvEnZEaAt-REALw_wcB

5) Aposto: é um termo que se junta a outro de valor substantivo ou pronominal para explicá-lo ou especificá-lo melhor. Vem separado dos demais termos da oração por vírgula, dois-pontos ou travessão.

Por Exemplo:

Ontem, segunda-feira, passei o dia com dor de cabeça.

Segunda-feira é aposto do adjunto adverbial de tempo ontem. Dizemos que o aposto é sintaticamente equivalente ao termo a que se relaciona porque poderia substituí-lo. Veja:

Segunda-feira passei o dia com dor de cabeça.

OBS.: após a eliminação de ontem, o substantivo segunda-feira assume a função de  adjunto adverbial de tempo.

Veja outro exemplo:

Aprecio todos os tipos de música: MPB, rock, blues, chorinho, samba, etc.
Objeto Direto Aposto do Objeto Direto

Se retirarmos o objeto da oração, seu aposto passa a exercer essa função:

Aprecio MPB, rock, blues, chorinho, samba, etc.
Objeto Direto

OBS.: o termo a que o aposto se refere pode desempenhar qualquer função sintática (inclusive a de aposto).

Por Exemplo:

Dona Aida servia o patrão, pai de Marina, menina levada.

Analisando a oração, temos:

pai de Marina = aposto do objeto direto patrão.

menina levada = aposto de Marina.

CLASSIFICAÇÃO DO APOSTO

De acordo com a relação que estabelece com o termo a que se refere, o aposto pode ser classificado em

a) Explicativo:

A Ecologia, ciência que investiga as relações dos seres vivos entre si e com o meio em que vivem, adquiriu grande destaque no mundo atual.

b) Enumerativo:

A vida humana se compõe de muitas coisas: amor, trabalho, ação.

c) Resumidor ou Recapitulativo:

Vida digna, cidadania plena, igualdade de oportunidades, tudo isso está na base de um país melhor.

d) Comparativo:

Seus olhos, indagadores holofotes, fixaram-se por muito tempo na baía anoitecida.

e) Distributivo:

Drummond e Guimarães Rosa são dois grandes escritores, aquele na poesia e este na prosa.

f) Aposto de Oração:

Ela correu durante uma hora, sinal de preparo físico.

Além desses, há o aposto especificativo, que difere dos demais por não ser marcado por sinais de pontuação (vírgula ou dois-pontos). O aposto especificativo individualiza um substantivo de sentido genérico, prendendo-se a ele diretamente ou por meio de uma preposição, sem que haja pausa na entonação da frase:

Por Exemplo:

poeta Manuel Bandeira criou obra de expressão simples e temática profunda.
rua Augusta está muito longe do rio São Francisco.

Atenção:

Para não confundir o aposto de especificação com adjunto adnominal, observe a seguinte frase:

A obra de Camões é símbolo da cultura portuguesa.

Nessa oração, o termo em destaque tem a função de adjetivo: a obra camoniana. É, portanto, um adjunto adnominal.

OBSERVAÇÕES:

1) Os apostos, em geral, destacam-se por pausas, indicadas na escrita, por vírgulas, dois pontos ou travessões. Não havendo pausa, não haverá vírgulas.

Por Exemplo: Acabo de ler o romance A moreninha.

2) Às vezes, o aposto pode vir precedido de expressões explicativas do tipo: a saberisto épor exemplo, etc.

Por Exemplo: Alguns alunos, a saber, Marcos, Rafael e Bianca não entraram na sala de aula após o recreio.

3) O aposto pode aparecer antes do termo a que se refere.

Por Exemplo: Código universal, a música não tem fronteiras.

4) O aposto que se refere ao objeto indireto, complemento nominal ou adjunto adverbial pode aparecer precedido de preposição.

Por Exemplo: Estava  deslumbrada com  tudo: com a aprovação, com o ingresso na universidade, com as  felicitações.

É isso ae!

Espero ter ajudado.

3 comentários em “Enfrentando o Adjunto Adnominal, o Predicativo, o Complemento Nominal e o Aposto.

Deixe uma resposta para EstudoDireito.com Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s